30/05/2019

IPC da segunda semana de maio foi de 0,92%


O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) do município de Curitiba, apurado semanalmente pelo IPARDES, exibiu, na segunda semana de maio, aceleração de 0,92%, resultado que superou as taxas da primeira semana de maio e da segunda semana de abril, que foram de 0,85% e 0,21%, respectivamente (ver gráfico).





Nesta segunda semana de maio observaram-se aumentos generalizados, em oito dos nove grupos de despesas do IPC; a única exceção foi a queda de 0,39% ocorrida no grupo Alimentos e Bebidas (tabela 1). Dentre os grupos com alta, as maiores variações foram verificadas em Despesas Pessoais (2,82%) e Vestuário (1,69%).





No que diz respeito aos itens pesquisados, as maiores variações percentuais com acréscimo ocorreram em pacotes turísticos internacionais (20,34%), pacotes turísticos nacionais (17,78%), passagem aérea (12,73%), batata-inglesa (11,53%) e conserto de geladeira (11,21%). Em contrapartida, as principais variações com queda advieram de mamão (20,03%), alface (17,25%), remédio para problemas de estômago (14,87%), maçã (12,99%) e laranja-pera (11,25%).





Contribuição dos grupos de despesas e dos itens na variação do IPC

Outra perspectiva de análise do resultado do IPC é aquela que considera a contribuição, em pontos percentuais, de cada grupo de despesa e de seus respectivos itens na formação da taxa de variação percentual do índice geral.

Nesse sentido, a maior contribuição para o resultado IPC nessa segunda semana de maio foi do grupo Transporte, com 0,32 p.p., destacando-se os aumentos de 2,50% em gasolina comum, 0,66% em automóvel nacional usado, 12,73% em passagem aérea, 2,64% em conserto de veículo, 0,64% em automóvel nacional zero km, 1,61% em automóvel importado zero km e 2,85% em etanol.

Por sua vez, o grupo Despesas Pessoais contribuiu com 0,26 p.p., refletindo, sobretudo, os aumentos anteriormente citados em pacotes turísticos nacionais e em pacotes turísticos internacionais.

Por outro lado, o decréscimo de 0,39% do grupo Alimentos e Bebidas resultou em contribuição de -0,06 ponto percentual. Entre as principais influências sobre esse resultado estão mamão, laranja-pera, maçã, feijão preto e alface (já em destaque na tabela 2), acrescidas das retrações de -4,23% em costela bovina e -1,45% em pão francês.